Ler o post

A recolocação é o processo em que um candidato busca se reinserir no mercado de trabalho. 

Esse momento costuma trazer um misto de sentimentos, que vão desde angústia até a esperança por novos caminhos.

Assim, é fundamental traçar uma estratégia. 

Neste artigo, vamos citar alguns pontos que você deve explorar ao longo desse período e garantir o tão esperado “sim!”, passando pelo currículo, LinkedIn e Networking.

A imagem mostra três pessoas em uma reunião. Elas estão segurando papéis e gesticulando com as mãos.

Faça uma pesquisa de mercado

Pesquise na internet como está o mercado de trabalho na sua área de atuação. Verifique as áreas onde as empresas estão mais contratando, quais as qualificações exigidas e a média salarial.

Você pode usar essas informações, inclusive, para encontrar boas palavras-chave e incluí-las no seu currículo.

Mas cuidado: não envie currículos em demasia para qualquer vaga que apareça. Selecione as que você tem interesse e que ofereçam boas condições.

Esse foco será muito importante para que você trabalhe com satisfação e motivação.

Renove o seu currículo

O currículo é a primeira etapa de um processo seletivo e, por consequência, o primeiro contato entre você e o recrutador.

Porém, você precisa elaborar um bom currículo para se destacar.

Confira algumas dicas:

  • Seja objetivo: por mais que você tenha muitas qualificações, tente resumi-las e focar naquilo que a vaga pede. Coloque-se no lugar do recrutador: ele precisa ler muitos currículos por dia, assim ir “direto ao ponto” é a melhor decisão.
  • Foto? Depende: coloque sua foto apenas se for solicitado pelo recrutador. Ao contrário, não é necessário;
  • Cuidado com os dados pessoais: nunca adicione documentos pessoais no currículo, como número do RG e CPF. Ainda, é recomendado que você coloque apenas bairro, cidade e estado no seu endereço;
  • Personalize o seu currículo: você pode (e deve!) personalizar o seu currículo conforme a vaga. Identifique as exigências e vá hierarquizando as informações. Por exemplo: em uma vaga que pede uma pós-graduação, o campo de “educação” deve ser destaque no seu currículo;
  • Título: No título, opte por colocar nome e sobrenome. Não coloque apenas “Currículo” ou “Curriculum Vitae”;
  • Revise: dica simples, mas valiosa. Quando terminar de escrever as informações no seu currículo, revise. Confira se seus dados de contato, como e-mail e telefone, estão corretos e cuide da ortografia;
  • Cuidados no envio: Ao enviar o currículo para o recrutador, seja cuidadoso. Nomeie o arquivo com o seu nome completo + nome da vaga que você está se candidatando. Opte por anexá-lo em PDF, pois seu artigo não perde as configurações;
  • Formatação: ao elaborar o currículo, opte por formatações mais simples. Lembre-se que ele é um documento profissional que deve ser claro e organizado. Evite letras coloridas, sublinhados e excesso de texto em caixa alta;
  • Número de Páginas: Não existe certo ou errado, mas procure sempre utilizar o bom senso. Seu currículo não precisa ter exatamente uma página. Porém, ele precisa mostrar regularidade. Com certeza, existem exceções. Se você está se candidatando para vagas que demandam criatividade, opte por um currículo mais moderno.
A imagem mostra um óculos. A lente desses óculos está focando em palavras de um livro.

Procure qualificação profissional

O mercado de trabalho se transforma constantemente. Para se manter atualizado é preciso buscar qualificação profissional constantemente.

Existem diversas opções para adquirir conhecimentos para a sua trajetória profissional. 

Graduação

A graduação é o nível de escolaridade obtido após o ensino médio. Nela, o aluno se especializa em determinada área de conhecimento.

Existem três modos de graduação: bacharelado, licenciatura e tecnólogo.

O bacharelado visa uma formação mais abrangente, mostrando diversas possibilidades de atuação dentro da área escolhida. A duração é de quatro a seis anos.

A licenciatura prepara o estudante para ministrar aulas na educação básica a respeito da área de conhecimento escolhida. Por isso, a matriz curricular propõe disciplinas de didática e pedagogia. A duração é de quatro a cinco anos.

Já o tecnólogo é direcionado para a capacitação profissional em determinada área. A duração é menor: de dois a três anos.

É importante ressaltar que os três cursos são de nível superior. Após concluí-los, o estudante pode seguir com uma pós-graduação para se especializar ainda mais.

Confira os cursos de graduação oferecidos no EAD UCS. 

Pós-graduação:

A pós-graduação visa uma formação mais especializada. 

Há dois tipo de pós-graduação:

Stricto sensu (em sentido estrito): focada na formação de pesquisadores e professores universitários. Equivale ao mestrado e ao doutorado.

Lato sensu (em sentido amplo): são mais abrangentes e focados na formação de profissionais para o mercado de trabalho. Equivale aos cursos de MBA e especialização.

Confira os cursos de pós-graduação oferecidos no EAD UCS.

Cursos livres

Você pode, ainda, investir em qualificação profissional através de cursos livresw.

Existem várias opções, gratuitas e pagas, que abordam assuntos interessantes para os profissionais. Há a opção, ainda, de realizar cursos on-line.

Além disso, também é importante investir em cursos de idiomas.

Em determinadas vagas, ter o conhecimento em um segunda língua, como o inglês e o espanhol, é um requisito básico. 

Prepare-se para entrevistas de emprego

Entrevistas de emprego nunca são iguais, mas guardam em si a essência de conhecer melhor o candidato e saber se ele está preparado para colaborar com a empresa e assumir a posição oferecida.

Antes de fazer uma entrevista, prepare-se.

Procure na internet perguntas mais comuns que os recrutadores costumam fazer.

De acordo com a Michael Page, uma multinacional referência em recrutamento especializado, as dez perguntas clássicas feitas durante uma entrevista de emprego, são:

1. Me conte sobre você.
2. Por que você quer trabalhar para nós?
3. Dê um exemplo de onde você foi capaz de usar suas habilidades de liderança (para cargos de gestão)
4. Quais são os seus pontos fortes e fracos?
5. Onde você se vê em cinco anos?
6. Qual é a sua maior conquista?
7. Por que devemos contratá-lo?
8. Você trabalha bem em equipe?
9. Quais são as suas expectativas de salário?
10. Você tem alguma pergunta?

Estude essas perguntas e treine possíveis respostas. Quanto mais nos prepararmos, melhor será nossa experiência, pois vamos adquirir tranquilidade e confiança.

Outros aspectos importantes:

  • Assim como não se deve mentir no currículo, na entrevista é a mesma coisa. Diga sempre a verdade, pois o recrutador vai perceber caso esteja mentindo;
  • Tente não iniciar suas respostas com frases negativas. Sempre comece de um modo positivo;
  • Quando você descrever suas atividades, procure relacioná-las com resultados concretos;

Ao definir seus pontos fracos, não recorra aos clichês, como “perfeccionista”. Também não se destrua. Aqui, o objetivo é você reconhecer seu problema e propor estratégias para melhorar. Exemplo: tenho dificuldade em lidar com determinado software, porém procurei cursos on-line e hoje o domino melhor.


A imagem mostra uma lupa acima de um fundo azul.

Pesquise sobre a empresa

Quando você for convidado para uma entrevista de emprego, faça a lição de casa.

Além de se preparar para falar sobre suas experiências profissionais, pesquise sobre a história da empresa.

Confira o site oficial, notícias, vídeos institucionais, redes sociais ou quaisquer materiais úteis.

Isso é muito importante para você alinhar suas respostas e expectativas com a cultura da organização.

Construa um perfil de sucesso no LinkedIn

O LinkedIn é a maior rede profissional do mundo, com mais de 645 milhões de usuários em 200 países e territórios.

No LinkedIn, você pode:

  • Procurar oportunidades de emprego;
  • Receber e oferecer recomendações profissionais;
  • Criar relacionamentos profissionais, o famoso networking;
  • Acompanhar tendências do mercado de trabalho;
  • Produzir conteúdo relevante, que contribua para discussões profissionais;
  • Acompanhar conteúdos relevantes escritos por suas conexões.

Como ter um bom perfil no Linkedin?

1. Adicione sua foto:  A foto é o seu cartão de visitas. Faça com que o destaque seja você, optando por fundo neutros, sem muitos elementos. Ainda, garanta uma boa iluminação e imagens nítidas, sem ruídos ou desfoques.

2. Título profissional: O título é o campo que fica logo abaixo do seu nome no perfil. Um bom título precisa conter palavras-chave interessantes para o seu campo de atuação. Procure não colocar “em busca de recolocação”, pois o recrutador vai pesquisar por palavras-chave relativas às suas habilidades, e não condições atuais.

3. Resumo: Oportunidade para contar a sua história de forma atrativa e empática. Relate suas experiências, competências socioemocionais, paixões e realizações.
Não se esqueça de completar seu perfil com suas experiências e formação acadêmica, além de adicionar suas licenças e certificados.

Ao invés de “amigos”, como em outras redes sociais, o LinkedIn trabalha com conexões. A conexão funciona de um jeito diferente, pois são atribuídos “graus” para cada uma delas. Confira:

Conexões de 1º grau - pessoas com as quais você estabeleceu uma conexão direta porque aceitou o convite de conexão delas ou porque elas aceitaram o seu convite.

Conexões de 2º grau - são pessoas conectadas às suas conexões de 1° grau. Você verá o ícone de 2° grau ao lado do nome nos resultados de pesquisa e no perfil da conexão.

Conexões de 3º grau - são pessoas conectadas às suas conexões de 2º grau. Você verá o ícone de 3° grau ao lado do nome nos resultados de pesquisa e no perfil da conexão.

Faça Networking

Anteriormente, citamos que o LinkedIn é uma ferramenta muito importante para fazer o famoso “Networking”.

Pessoas que cultivam bons relacionamentos profissionais, normalmente, são lembradas quando surgem novas oportunidades de carreira.

Contudo, a sua rede de contatos não serve apenas para indicações de emprego. Ela é uma porta para crescer pessoalmente e profissionalmente, através do compartilhamento de experiências.

E o networking vai além, você pode conhecer novas pessoas em cursos, palestras, workshops e seminários.

Seja sempre receptivo para trocar ideias bacanas com outras pessoas!

Conclusão

A recolocação profissional é um desafio para muitas pessoas.

Ainda assim, é fundamental ver essa fase como uma chance de autoconhecimento e redescoberta.

Com uma boa preparação e estratégias bem definidas, com certeza, seu objetivo será alcançado.

Fique atento ao mercado de trabalho, renove seu currículo e monte um perfil de sucesso no LinkedIn. Também não se esqueça de fazer Networking e sempre compartilhar experiências profissionais! 

Se você gostou do artigo, acompanhe outros conteúdos do blog EAD UCS

23 Profissões do Futuro: Conheça as possibilidades

Confira 13 dicas para estudar EAD e melhorar o seu rendimento

Agendamento da Carteira de Trabalho [Guia Completo]

New call-to-action
New call-to-action
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.