Ler o post

 Tags: Enem

A Proposta de Intervenção é uma das competências avaliadas na redação do Enem, que avalia a capacidade de argumentação do candidato e somente essa competência já vale 200 pontos da prova.

É uma parte do texto que deve apresentar uma proposta de solução para o problema apresentado, demonstrando coerência e levando em conta o contexto sugerido.  

Porém existem alguns critérios que são necessários para essa elaboração. Você sabe quais são eles? É o que você aprenderá neste artigo. 

Confira:

As competências avaliadas na redação do Enem
O que é uma proposta de intervenção?
Como fazer a sua proposta de intervenção na redação do Enem
Exemplos de proposta de intervenção para se inspirar
Conclusão

Descubra os segredos para tirar nota 1000 na redação do ENEM!

As competências avaliadas na redação do Enem

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC), na redação do Enem são avaliadas 5 competências:  

  1. O domínio da escrita formal da Língua Portuguesa;
  2. A compreensão da proposta de redação e a aplicação dos conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa;
  3. A capacidade de selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista;
  4. Conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação;
  5. A elaboração de uma proposta de intervenção para o problema abordado.  

O que é uma proposta de intervenção?

Uma proposta de intervenção é uma sugestão de ação ou medida direcionada a determinado problema social, com o intuito de atuar positivamente na questão. 

Para que uma proposta seja considerada boa, ela precisa estar bem contextualizada com a realidade do problema, apresentando propostas coerentes e viáveis.  

Para isso, você deverá recorrer a todo conhecimento aprendido na escola nas diversas disciplinas, sempre considerando a diversidade sociocultural. 

A proposta deve estar bem detalhada e apresentar conexão com os argumentos desenvolvidos ao longo do texto.

Se você ficar em dúvida no momento de elaborá-la, responda às seguintes perguntas:  

  • O que é possível apresentar como proposta de intervenção na vida social?
  • Como viabilizá-la? 

Como fazer a sua proposta de intervenção na redação do Enem 

A proposta de intervenção necessita de uma abordagem completa e contextualizada para ser considerada legítima e produtiva.

É necessário estar atento aos detalhes que são exigidos no Enem, pois cada elemento serve para responder a perguntas essenciais da medida. 

Assim, a proposta de intervenção deve dividir-se em cinco elementos: 

  1. Agente;
  2. Ação;
  3. Modo/meio;
  4. Finalidade;
  5. Detalhamento. 

Os elementos exigidos são respostas essenciais para o sentido da proposta. É preciso evidenciar: 

  • Agente: quem fará? 
  • Ação: o que será feito? 
  • Modo/meio: como será feito? De que modo será feito? 
  • Finalidade: qual o intuito? Como isso pode ajudar? Qual o propósito disso no problema? 
  • Detalhamento: quais são os detalhes importantes para essa ação dar certo? Como as coisas serão relacionadas? Com ajuda ou participação de quem será feito? 

Todas essas respostas são essenciais para a proposta de intervenção.

O detalhamento deve ser amplo e instigar o aprofundamento da proposta, exigindo do estudante que reflita e construa de modo sólido uma medida de ação.  

Uma dica importante é colocar a proposta de intervenção em um parágrafo separado – a conclusão –, uma vez que a competência 5 avalia unicamente a proposta de intervenção, o que a faz valer, sozinha, 200 pontos do texto inteiro.

proposta de intervenção - redação do enem

Exemplos de proposta de intervenção para se inspirar 

Tema: O papel da mulher no século XXI

Situações-problema: 

  • A igualdade de gêneros é garantida pela Constituição de 1988, mas, na prática, o pensamento conservador ainda prevalece em grande parte da população. 
  • Os movimentos feministas no século XX possibilitaram à mulher um maior empoderamento político e social. Contudo, alguns pensamentos machistas projetam uma imagem pejorativa sobre o feminismo. 
  • A 1ª Guerra Mundial possibilitou a entrada da mulher no mercado de trabalho, no entanto, ainda existe uma grande disparidade entre os salários de um homem e de uma mulher. 

Propostas de intervenção: 

  • O debate de obras literárias nas escolas que reflitam sobre o papel da mulher ao longo das épocas e como essa ganhou grande destaque no campo artístico e social, a fim de promover sua valorização; 
  • A mídia, como meio de comunicação e elemento persuasivo, pode promover maiores informações acerca de movimentos feministas e a importância deste para promover uma sociedade mais igualitária; 
  • O poder público deve criar medidas que fiscalizem a desigualdade de salários entre os gêneros nas empresas e atribuir uma multa àqueles que não cumprirem com os anseios da Constituição.; 
  • A fim de criar uma sociedade mais reflexiva, a instalação de projetos culturais com a presença de atrizes influentes na mídia pode atrair o público a participar de rodas de debate sobre o papel da mulher na sociedade contemporânea; 
  • A mídia pode contribuir com a exposição de mulheres que fizeram a diferença ao longo dos séculos e inspiram jovens a persistirem a lutar pelo respeito ao próximo e conscientizar os indivíduos de que devemos ter uma sociedade ética e democrática. Mulheres como Frida Kahlo, Madre Tereza de Calcutá, Zuzu Angel, Evita Perón, Joana D’arc, entre outras, podem ser utilizadas como referência. 

Tema: A redução da maioridade penal no Brasil

Situação-problema: 

Com o aumento do caso de crimes cometidos por jovens, o debate sobre a redução da maioridade penal dos 18 para os 16 anos foi levantado.

No entanto, essa não é a solução para os crimes, e os muitos países que já reduziram a maioridade penal são o maior exemplo disso. 

Além disso, esse debate revela que nós, brasileiros, temos a péssima mania de preferir o tratamento – insuficiente – à prevenção.

Agimos apenas depois que os problemas acontecem e estão fora de controle, além de querermos atacar as extremidades do problema, evitando encarar a raiz. 

Propostas de intervenção: 

  • O melhor caminho para esse caso é, sem dúvida, investir na educação do Brasil, que é muito deficitária. Tirar os jovens das ruas e colocar na escola é o caminho. 
  • Além disso, é importante tornar a punição, já existente para os jovens infratores, mais eficaz. Uma boa alternativa seria investir na ressocialização, fazendo-os aprender uma profissão, estudar, praticar esportes. 

Tema: Viver em rede no século 21 e os limites entre o público e o privado  

Situações-problema: 

  • Os impactos da globalização e a internet possibilitaram às pessoas uma maior exposição de sua vida nas redes sociais, entretanto, é preciso ter cautela com o comportamento do usuário no mundo virtual. 
  • A questão do anonimato proporciona ao indivíduo um maior encorajamento e poder para atacar a imagem do próximo. 

Propostas de intervenção: 

  • A conscientização do indivíduo sobre a responsabilidade de sua conduta no mundo virtual é fundamental para evitar possíveis danos; 
  • Em casos extremos, como incitações de intolerância na rede e a exposição de nudez proporcionada por postagens anônimas ou perfis falsos, a fiscalização do órgão público faz-se necessária para punir os agentes causadores; 
  • A mídia pode ajudar na exposição da internet como difusora de conhecimento e informação, além de abordar casos que contribuíram para o engajamento político dos internautas na sociedade, como as Manifestações de 2013 e a Primavera Árabe, em 2011; 
  • ONGs devem ser mais ativas nas redes sociais, a fim de que fiquem mais próxima do contato entre os jovens e estimule-os a participar de projetos educacionais e culturais, como a presença de cursos online e a orientação de encontros em grupo para debates. 

Tema: A crise hídrica no Brasil

Situações-problema: 

  • A crise hídrica no Sudeste; 
  • A questão do consumo desregulado da água pelos cidadãos; 
  • O chamado “consumo virtual”, ou seja, a quantidade utilizada de água pelas empresas para a produção de produtos. 

Propostas de intervenção: 

  • O incentivo a projetos escolares que ensinem a reutilização da água é uma ótima maneira para incentivar os pequenos a adquirirem consciência sobre o uso desse bem hídrico; 
  • O tratamento de águas de esgoto pode ser uma medida eficaz para que as empresas reutilizem esse líquido para a produção de seus produtos, a fim de evitar os impactos do consumo virtual; 
  • O estímulo a descontos no valor das contas de água e luz faz com que os usuários busquem economizar neste momento de crise e comecem a refletir sobre a situação atual do Brasil; 
  • Como há distribuição irregular de água entre os países, uma maneira de promover uma harmonização e alavancar a economia entre os estados seria a troca de interesses de cada região. Assim, todas as áreas seriam beneficiadas e ajudariam a reduzir a crise hídrica frente aos estados que estão com os reservatórios de água em situação de carência. 

Conclusão

Neste texto você aprendeu a elaborar uma proposta de intervenção para uma redação do Enem e soube quais as competências que são avaliadas nesta prova, assim como algumas sugestões de propostas de intervenção para inspirar a sua escrita.  

Para mais informações sobre a prova do Enem, continue acompanhando o Blog do EAD UCS:

Baixe agora mesmo 100 questões do ENEM e comece a estudar!
Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.