Ler o post

 Tags: Ensino Superior

Cansado de estudar sempre com as mesmas técnicas e ansioso para conhecer novos métodos de estudo?

Esse é um bom sinal, pois mostra que você está comprometido com o seu aprendizado - o que já é um grande passo para melhorar o seu desempenho.

Aliás, sobre isso, você sabia que estudantes que fazem a lição de casa têm rendimento superior ao daqueles que não se interessam pela prática?

Uma pesquisa, divulgada pelo Ministério da Educação, revelou que há ganho de 21 pontos em língua portuguesa e 17 pontos em matemática.

Ou seja, a performance é bem melhor, e o resultado sugere que a aprendizagem deve ultrapassar os limites da sala de aula.

Então, preparado para descobrir os principais métodos de estudo e inseri-los na sua rotina?

Vamos lá!

O que são métodos de estudo?

Os métodos de estudo são técnicas usadas para facilitar o aprendizado. 

Eles têm características diversas, como gestão do tempo, memorização, foco e concentração.

Afinal, para adquirir conhecimento, não basta apenas assistir às aulas. É preciso muito empenho e dedicação.

8700

Quais são os métodos de estudo?

São vários os métodos de estudo que você pode utilizar.

Para escolher, leve em conta o seu perfil e as necessidades. Ou seja, de que forma pretende aproveitar o conhecimento adquirido.

E não se esqueça, é claro, de analisar as opções.

Para esse passo, a gente dá uma ajudinha.

Confira alguns dos principais métodos de estudo!

Técnica Pomodoro

A técnica Pomodoro é, na verdade, um método de gestão de tempo, e um dos mais conhecidos. 

Pode ser aplicado para diversas finalidades, inclusive nos estudos, onde tem mostrado grandes resultados.

Ela consiste em estabelecer 25 minutos para o exercício da atividade e 15 minutos de descanso.

Ou seja, você estuda no maior tempo, e usa o outro período para recuperar o fôlego. Depois, repete esse fluxo várias vezes.

Para colocar a técnica Pomodoro em prática, você vai precisar de um cronômetro, ok?

E, se quiser, pode tentar espaçar mais. Em vez de 25 minutos, teste estudar direto por 45 minutos, por exemplo.

O ideal é que intercale sempre os períodos de dedicação com os de descanso, mas os minutos é você quem decide.

Método Robinson (EPL2R)

Se você ficou curioso para saber o que significa a sigla EPL2R, já vamos explicar.

Veja só:

  • E: Explorar
  • P: Perguntar
  • L: Ler. 
  • 2R: Rememorar e Repassar.

Cada termo desse acrônimo é uma etapa, na qual devem ser tomadas ações específicas.

Na primeira, é necessário explorar todo o conteúdo. 

Isto é, investigar tudo sobre a obra e o autor. 

Depois, inicia-se a fase das perguntas. 

É hora, então, de levantar todas as dúvidas sobre o assunto a ser estudado. 

O terceiro passo consiste em uma leitura mais aprofundada do material. 

Percorra as linhas com bastante cuidado.

Feito isso, é a vez do primeiro R, de Rememorar. Aqui, o intuito é se certificar de que o aprendizado foi realmente fixado. 

Por último, você deve repassar tudo o que estudou. 

Nessa etapa, é preciso fazer uma espécie de análise bem minuciosa, com resumos, anotações e desenhos.

Vale também conversar com outras colegas. 

Quem sabe, assim, consegue agregar ainda mais conhecimento.

Mapa mental

Quem adora aplicar métodos de estudo, certamente, vai ver o mapa mental com bons olhos.

Afinal, com tantas cores e formas, é difícil não se encantar por eles.

Essa técnica bastante visual, que funciona como uma espécie de ramificações, ajuda o cérebro a memorizar e assimilar o conteúdo com mais facilidade. 

Ao centro de uma folha de papel, deve-se escrever o tema estudado. De preferência, com a cor preta. Por exemplo: Roma Antiga.

Em volta, é preciso colocar os subtemas. Ou seja, os tópicos relevantes do assunto. 

No caso do exemplo, poderia ser Império, Monarquia, República e por aí vai.

O ideal é escrever cada um deles com cores diferentes. E a fonte também deve ser menor do que o tamanho usado para designar o tema central.

Então, embaixo dos subtemas, lista-se as informações mais importantes sobre eles. 

Imagens e desenhos complementam o mapa mental. 

Teste Prático

A prática leva mesmo à perfeição? 

A resposta é sim - e este método de estudo comprova isso.

Quanto mais exercícios você realizar, mais chances você tem de aprender o conteúdo.

Portanto, recorra a simulados e provas de edições anteriores para treinar bastante. 

Você pode também usar um cronômetro para registrar o tempo gasto. 

Isso ajudará a se planejar para a realização de provas que têm um período determinado.

Autoexplicação

Imagine-se como um professor e tente dar uma aula para si mesmo.

É assim que funciona o método de autoexplicação.

Quando você fala em voz alta, é capaz de reconhecer mais facilmente o raciocínio que foi criado.

Além disso, é uma técnica que ajuda a memorizar.

Autointerrogação

Neste método de estudo, também é preciso falar em voz alta.

A diferença é que, aqui, você não vai explicar o conteúdo, e sim levantar algumas perguntas sobre o tema.

Tente respondê-las de forma elaborada.

Estudo intercalado

Como o nome sugere, o estudo intercalado consiste em intercalar os conteúdos.

Ou seja, em um dia, você estuda matemática. No outro, língua portuguesa. E assim por diante.

Para isso, você deve fazer uma programação, porque é necessário dedicar mais de um dia para cada matéria. 

Não é nada complexo e surte bastante efeito. 

Quando você retoma o conteúdo, a sua mente é forçada a se lembrar do que já foi visto, e isso contribui para o aprendizado.

Estudo mnemônico

Você deve estar pensando: “Se o nome do método já é difícil, imagina aplicar”. 

Mas não é bem assim.

Aliás, o estudo mnemônico é fácil e bastante divertido. 

E, provavelmente, você já tenha aplicado a técnica sem saber do que se tratava.

O método consiste em criar frases engraçadas, músicas ou rimas, por exemplo, para viabilizar a assimilação de um conteúdo.

marten-bjork-rH8O0FHFpfw-unsplash

Fichamento ou resumo

Fichamento e resumo são técnicas diferentes, mas parecidas.

Na primeira, você distribui o conteúdo em fichas para fazer consultas mais tarde.

Já o resumo é um apanhado das ideias principais de uma obra, normalmente feito em forma de texto corrido.

Ambos são essenciais na sua rotina de estudos.

Releitura

Leia e releia um texto quantas vezes forem necessárias.

Esse hábito é crucial para o conteúdo entrar na sua cabeça de uma vez por todas.

A primeira leitura costuma ser mais dinâmica e o cérebro capta a essência do que foi lido.

Nas leituras seguintes é que os detalhes começam a ser percebidos e absorvidos.

Construção e reconstrução de tabelas

Se você é do time que não perde a chance de construir uma boa tabela, este método de estudos vai ganhar o seu coração.

A ideia aqui é utilizar o recurso para agrupar conceitos.

Você pode criar várias colunas com os temas principais de estudo e, então, em cada linha, escrever palavras-chave e termos que se referem a eles.

Gravações de áudio

Experimente ler o conteúdo em voz alta e gravar o áudio da leitura para ouvir depois.

Os estímulos auditivos são ótimos para ajudar na memorização.

Além disso, o recurso ajuda a otimizar o tempo. 

Afinal, você pode escutá-lo no transporte público ou enquanto dirige, por exemplo.

Apresentações para o espelho

Para quem será submetido a uma avaliação oral ou de apresentação, vale muito investir nesta técnica.

Ao olhar o seu reflexo durante a explanação do conteúdo, você consegue perceber melhor a sua linha de raciocínio e as suas expressões.

Treinar em frente ao espelho também é uma forma de exercitar a capacidade de improviso.

Simulações cronometradas

Você, certamente, já fez alguma apresentação com tempo para ser cumprido.

Então, sabe que é um desafio enorme se manter entre os minutos determinados.

Mas a missão pode ser mais simples se você apostar em simulações cronometradas.

Isso significa fazer testes calculando o tempo gasto e organizando melhor as suas falas.

Vantagens e benefícios dos métodos de estudo

Se você acompanhou com atenção todas as técnicas, já consegue imaginar quais são as benefícios de aplicá-las, certo?

Mas, caso ainda não tenha clareza quanto a isso, sem problemas. Falaremos deles agora.

Bem, a principal vantagem é viabilizar a assimilação do conteúdo. 

Ou seja, fazer com que o estudante compreenda o assunto estudado mais rapidamente e com facilidade.

Os métodos de estudo também permitem que o aluno desenvolva outras capacidades, como a expressão oral e escrita.

Sem dúvida, o desempenho e a produtividade são maiores quando eles são colocados em prática.

Dicas para encontrar o melhor método de estudo para você

Neste artigo, apresentamos 14 métodos de estudo. 

Mas qual o ideal para você? Ficou na dúvida?

Se você reparar bem, cada um deles pode ser usado para finalidades diferentes.

Mas também há a possibilidade de combiná-los.

Vale testar todos para identificar quais métodos têm mais efeito sobre a sua performance.

E, então, é só escolher alguns deles para adotar de vez.

Aplicando as técnicas e métodos de estudo

Comece aos poucos e não tente fazer tudo junto. 

Opte por iniciar com os métodos que são mais parecidos com a rotina que você já tem hoje.

Aos poucos, introduza técnicas novas e veja como se sai.

Você pode, ainda, adaptá-las à sua realidade. 

O importante é descobrir os métodos mais eficientes para você.

Conclusão

Ao acompanhar este artigo, você viu como os métodos de estudo podem contribuir - e muito - com o seu aprendizado.

Eles são excelentes para complementar os ensinamentos em sala de aula e, principalmente, para quem estuda a distância. 

Falando em EAD, você já deu uma olhada nos cursos que a UCS - Universidade de Caxias do Sul oferece?

Ainda não? Então, é a hora. Confira as formações disponíveis, matricule-se e dê um passo importante em direção ao seu futuro.

Gostou do artigo sobre métodos de estudo? Escreva a sua opinião nos comentários e compartilhe o conteúdo em suas redes sociais!

blog ead ucs
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.