Ler o post

Você está procurando um curso de graduação que ofereça inúmeras possibilidades e que ainda permita ganhar excelentes salários?

Se a resposta for sim, convidamos você a saber mais sobre a área de engenharia de alimentos.

Fique conosco até o final deste texto e descubra o que tem levado muitas empresas do ramo da alimentação a valorizar esses profissionais, que fazem a diferença na hora de desenvolver e aprimorar a produção do que consumimos todos os dias.

Boa leitura!

engenharia de alimentos - pessoas manipulando alimentos em laboratorio

O que é engenharia de alimentos?

A Engenharia de Alimentos é a área que atua na maioria das etapas da cadeia produtiva dos alimentos, em especial nos que passam por algum processo de industrialização ou que demande manipulação.

O profissional desta área acompanha desde a seleção de matérias primas até o produto final.

Também está nas atribuições dos engenheiros de alimentos o desenvolvimento de técnicas, maquinários, e até acompanhamento na criação de softwares e que permitam melhorias na produção de alimentos.

Essa é uma área relativamente jovem, com pouco mais de 50 anos de existência no Brasil. O primeiro curso superior em Engenharia de Alimentos foi criado no país em 1967, pela UNICAMP.

À época, no entanto, o curso tinha o nome de Faculdade de Tecnologia de Alimentos, passando a chamar-se Engenharia de Alimentos apenas em 1975.

O que faz um engenheiro de alimentos?

O engenheiro de alimentos é o profissional que está diretamente ligado à maioria dos alimentos que consumimos diariamente. É ele o responsável pela escolha da matéria-prima e ingredientes que irão compor o produto final, aquele que chega à nossa mesa.

Mas para atuar nessa área não basta apenas gostar do ramo de alimentação. O engenheiro de alimentos trabalha diariamente com processos derivados da química, biologia e física, tudo aliado à tecnologia.

Isso porque, dentro das atribuições do profissional está a conservação dos alimentos e definição de prazos de validade e formas de distribuição.

Pense numa indústria de laticínios com sede no Rio Grande do Sul, mas que distribui os produtos para todo o território nacional.

Para que o produto chegue bem nos outros estados e tenha uma vida útil, é necessário o trabalho do engenheiro de alimentos. Ele irá definir quais as condições necessárias para o transporte dos produtos, armazenamento e por quanto tempo aqueles itens poderão ser comercializados e consumidos.

Mas o trabalho do engenheiro de alimentos vai além.

É ele quem atua na pesquisa de novos processos para a fabricação de alimentos, realiza testes e pesquisas de ingredientes, tudo com a finalidade de oferecer segurança e qualidade ao que sai das fábricas para a distribuição.

Diante disso, é correto afirmar que o trabalho do engenheiro de alimentos está diretamente relacionado com o nosso bem-estar.

Afinal de contas, quanto melhor for o nosso alimento, maior a expectativa de vida.

engenharia alimentos - manipulacao em laboratorio

Diferença entre engenharia de alimentos e nutrição

Muita gente confunde as atribuições do engenheiro de alimentos com nutricionista.

Na verdade, ambas as profissões trabalham na área alimentícia, mas com especificidades diferentes entre si.

O engenheiro de alimentos cuida das características químicas e físicas dos itens alimentícios, bem como dos processos referentes à produção, estocagem, manipulação, acondicionamento, conservação e garantia da qualidade dos produtos.

O nutricionista, por sua vez, trabalha com assistência alimentar, levando em conta as propriedades dos alimentos, o consumo cotidiano ou em situações especiais, para pessoas que necessitam de uma dieta específica, ou até mesmo para monitorar a rotina alimentar de uma pessoa ou de um grupo – como um time de futebol, por exemplo.

Em resumo: engenharia de alimentos pertence à área de exatas, enquanto nutrição faz parte do grupo da saúde.

Quanto ganha um engenheiro de alimentos

Por trabalhar muitas vezes em grandes empresas, não é difícil ter bons salários trabalhando na área da indústria alimentícia.

De acordo com o site Vagas, a média salarial para um engenheiro de alimentos é R$4158,00.

No entanto, é possível obter rendimentos que ultrapassem a faixa dos R$10 mil mensais.

O que vai definir a faixa salarial do profissional é o nível de experiência, de responsabilidade e o porte da empresa para a qual estará trabalhando.

Onde o engenheiro de alimentos pode atuar?

A cada ano que passa, aumenta o rigor e exigências legais para a produção alimentícia. O Brasil atualmente ocupa o posto de 3º país no mundo com maior produção de alimentos.

Estima-se, porém, que o país pode liderar esse ranking nos próximos anos. A previsão é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura.

Basta ir a um supermercado e reparar a quantidade de alimentos industrializados que estão nas prateleiras. Certamente cada um desses itens passou pelas mãos de um engenheiro de alimentos.

Com isso, se faz necessária a contratação de mais profissionais desta área dentro das empresas.

Dentre os ramos de produção que dependem da mão de obra do engenheiro de alimentos estão a fabricação de laticínios, panificação industrial, sorvetes e congelados, cervejas e bebidas, embutidos, entre tantos outros.

Se o profissional preferir, também pode atuar como consultor em projetos específicos dentro das indústrias ou até mesmo para empresas de pequeno porte que necessitam de pesquisa para a elaboração de uma linha de produtos, indo desde a escolha de ingredientes até teste de embalagens e informações necessárias em rótulos.

Embora a atribuição mais reconhecida do engenheiro de alimentos seja na produção, este profissional também é apto a trabalhar em áreas como:

  • Armazenamento e transporte: estabelecer parâmetros de armazenamento e transporte, visando à garantia de qualidade do produto acabado.
  • Tratamento de resíduos: definir formas de descarte, reciclagem e reaproveitamento de resíduos derivados da indústria alimentícia, com foco no meio ambiente e sustentabilidade.
  • Planejamento e projetos agroindustriais: planejar e implantar instalações industriais alimentícias e dimensionar novos equipamentos. Também passa pelo engenheiro de alimentos avaliar a viabilidade de uma ampliação na produção e o que será necessário para isso em termos de maquinário.
  • Fiscalização: o engenheiro de alimentos também pode vincular-se a órgãos de fiscalização da produção alimentícia, dentro dos municípios, estados ou até mesmo trabalhando para o governo federal.

Onde estudar Engenharia de Alimentos

A Universidade de Caxias do Sul oferece o curso de Engenharia de Alimentos no formato semipresencial.

Com duração de 5 anos, a graduação oferece ao estudante uma vasta gama de conteúdos, unindo teoria e prática. Desta forma, permite ao profissional atuar nas principais empresas e instituições vinculadas à indústria alimentícia do país e do exterior.

Confira a grade curricular do curso de Engenharia de Alimentos:

1º ANO

  • Inovação e Criatividade
  • Produção Discursiva: Oralidade e Escrita no Ensino Superior
  • Carreira na Engenharia e Tecnologia
  • Gestão de Projetos
  • Segurança, Ergonomia e Saúde Ocupacional
  • Gestão Ambiental e Responsabilidade Socia
  • Ciência dos Materiais
  • Sociedade, Cultura e Cidadania
  • Química Geral e Experimental
  • Cálculo Diferencial e Integral
  • Expressão Gráfica

2º ANO

  • Estatística
  • Ética, Lógica e Argumentação
  • Pensamento Computacional
  • Geometria Analítica e Álgebra Linear
  • Física: Mecânica
  • Tópicos de Mecânica dos Sólidos
  • Cálculo Diferencial e Integral II
  • Física: Ondas e Calor
  • Eletricidade Aplicada
  • Mecânica dos Fluidos
  • Física: Eletromagnetismo

3º ANO

  • Matérias Primas Agroindustriais
  • Introdução à Microbiologia e Higiene dos Alimentos
  • Cálculo Diferencial e Integral III
  • Fundamentos de Química Orgânica
  • Ferramentas da Qualidade
  • Técnicas Analíticas
  • Princípio das Operações Unitárias
  • Operações Unitárias na Indústria de Alimentos
  • Transferência de Calor e Massa
  • Análise Sensorial
  • Termodinâmica
  • Instalações Industriais 

4º ANO

  • Bioquímica dos Alimentos
  • Química dos Alimentos
  • Análise dos Alimentos
  • Tecnologia de Bebidas
  • Bioengenharia
  • Processos Industriais
  • Toxicologia dos Alimentos
  • Microbiologia dos Alimentos
  • Tecnologia dos Cereais
  • Processos Industriais II

5º ANO

  • Embalagem dos Alimentos
  • Tecnologia de Produtos de Origem Vegetal
  • Processos Industriais III
  • Tecnologia de Produtos de Origem Animal
  • Processos Industriais IV 
  • Engenharia Econômica
  • Desenvolvimento de Produto
  • Planejamento Experimental
  • Tópicos Avançados da Indústria de Alimentos
  • Comportamento Humano nas Organizações
  • Trabalho de Conclusão de Curso IV
  • Projeto em Engenharia

estudante semipresencial com livros

Como funciona um curso semipresencial?

O curso de Engenharia de Alimentos Semipresencial da UCS é oferecido no polo de Caxias do Sul (RS), com encontros presenciais uma vez por semana.

Nestas aulas, o foco é voltado às disciplinas práticas e na troca de ideias entre professores e alunos.

Os materiais voltados à parte teórica são estudados a distância, através do ambiente virtual de aprendizagem (AVA), no qual ficam armazenados os livros, vídeos, infográficos e exercícios.

A vantagem do modelo semipresencial é que o estudante lê e assiste os materiais em casa e tira as dúvidas em sala de aula.

Esse formato híbrido permite que pessoas que antes não poderiam frequentar a universidade por falta de tempo possam fazer uma graduação, conciliando vida profissional, pessoal e estudos.

Embora a flexibilidade seja apontada como um diferencial, é necessário que o estudante tenha o compromisso e foco de assistir às aulas e criar uma rotina diária, semelhante à que teria se fizesse um curso presencial. A diferença aqui é basicamente o local onde o estudante vai se dedicar às atividades acadêmicas.

Para ter acesso aos conteúdos basta estar conectado à internet, seja no computador, tablet ou até mesmo smartphone.

Conclusão

A área de Engenharia de Alimentos está crescendo a cada ano.

A posição brasileira no topo das nações produtoras de alimentos colabora para que, mesmo em tempos de crise, essa profissão siga valorizada.

O futuro para quem escolhe trabalhar nesse setor é bastante promissor.

O curso semipresencial de Engenharia de Alimentos da UCS oferece o que há de mais moderno e atual na preparação desses profissionais.

Outra vantagem é a facilidade do ingresso, uma vez que é possível entrar na faculdade com a nota do ENEM, por meio de transferências de outras instituições ou através do vestibular on-line.

Ainda é possível ingressar com o diploma universitário, sem a necessidade de passar por processo seletivo.

Ou seja, são várias possibilidades e todas ao seu dispor.

Se você busca uma profissão de destaque e valorização, saiba que Engenharia de Alimentos é uma das melhores opções.

Faça sua inscrição agora mesmo e inicie uma trajetória de sucesso o quanto antes.

 

 

New call-to-action
New call-to-action
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.