Ensino Superior

Como fazer seminário na graduação em 10 passos

Por Redação   | 

 Tag: Ensino Superior

O seminário é o formato de apresentação de trabalho mais comum no ensino superior. Em geral, exige do estudante uma preparação prévia do assunto e uma apresentação para o professor e os demais integrantes da turma.  

Em um seminário, o grupo que apresenta é submetido a uma série de questionamentos, que podem ser feitos com o intuito de tirar dúvidas ou de conferir os conhecimentos de quem está apresentando. 

A seguir, você vai aprender 10 passos para montar um seminário.

Confira:

O que é um seminário?
Passo a passo para tirar nota máxima na apresentação 

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

O que é um seminário 

O seminário é um trabalho acadêmico que tem foco na exposição do conteúdo, de modo que a oralidade é um aspecto central para esse tipo de avaliação. 

Por ter um caráter acadêmico, o seminário contém uma dimensão metodológica, que é utilizada para explicar e analisar determinada situação ou fenômeno. O seminário pode ser apresentado individualmente ou em grupo.  

Outra característica desse tipo de trabalho é que ele integra as chamadas “metodologias ativas de educação”, se assemelhando, inclusive, a chamada “sala de aula invertida”, que é  quando os alunos, em vez do professor, explicam determinado conteúdo após uma preparação. 

Desse modo, os responsáveis pelo seminário possuem a obrigação de buscar informações verdadeiras, vindas de fontes confiáveis.

Afinal, caberá ao estudante, ou ao grupo de estudantes, explicar um conteúdo novo para o restante da turma. 

Nesse sentido, a participação ativa não deve ser restrita aos que estão apresentando o seminário, pois essa postura deve estar presente também entre os ouvintes. 

A escuta ativa, nesse caso, é a capacidade de ouvir e formular questionamentos, a partir das informações trazidas e de conhecimentos prévios sobre o tema.

De modo que pode-se fazer perguntas sobre dúvidas que surjam, mas também questionamentos que suscitam a reflexão e o debate saudável entre os presentes. 

Em relação à apresentação, os estudantes podem combinar previamente com o professor a possibilidade de levar materiais interativos para a apresentação, como PowerPoint, vídeos, arquivos sonoros, fotografias, entre outros elementos que deixam a explanação dinâmica e interativa. 

Afinal, prender a atenção dos presentes é fundamental para o sucesso de um seminário. 

A estrutura padrão de um seminário 

O seminário, embora seja frequente no meio acadêmico, não possui uma estrutura rígida. Ainda assim, ele pode ser divididos nas seguintes etapas: 

  • Apresentar o grupo e o tema discutido; 
  • Expor a ideia central e os argumentos que a justificam; 
  • Realizar considerações sobre o tema; 
  • Abrir para perguntas e debate. 

Essa é a dinâmica de um seminário. Em geral, o grupo que apresenta não é interrompido ao longo da explicação.

Eventuais dúvidas ou questionamentos devem ser realizados após a explanação. 

Passo a passo para fazer um seminário e tirar nota máxima na apresentação 

Você já sabe o que é um seminário, para que serve, em quais contextos ele costuma ser utilizado e até mesmo qual é sua estrutura padrão. Mas, e na prática, como faz? 

Confira, a seguir, 10 passos para montar um e tirar a nota máxima na apresentação: 

1. Conheça bem o seu grupo 

Apesar de parecer meio óbvia, muitas vezes essa dica não é seguida, o que costuma gerar brigas e problemas entre os membros. 

No começo do ano letivo ou quando a turma é recém-formada, ainda é difícil compor um grupo apenas com pessoas com quem você tem afinidade. 

Inclusive, trabalhar em equipe com pessoas desconhecidas ou sem afinidade faz parte do processo pedagógico em um seminário.

Até porque no mercado de trabalho nem sempre vamos trabalhar apenas com amigos. Na verdade, isso quase nunca acontece! 

Ainda assim, conhecer bem o grupo é importante para estabelecer qual será a dinâmica da equipe.

Há alguém que trabalhe? Algum integrante possui maior restrição de horários? Quais são os temas mais dominados por cada um dos integrantes? 

As respostas a essas perguntas vão auxiliar no ritmo de trabalho e na frequência de encontro dos membros, por exemplo.

Como fazer seminário - confira o passo a passo

2. Estabeleça prazos e metas possíveis 

Trabalho passado, data de apresentação marcada. Agora, resta reunir todo mundo na véspera e ver o resultado, certo? Errado! 

Assim que possível, estabeleça um cronograma de trabalho, com prazos e metas. 

Desse modo, o grupo garante que vai conseguir estudar e discutir o tema entre si antes de explicar o conteúdo para o restante da sala, inclusive o professor. 

Com um cronograma estabelecido desde o começo, fica mais fácil visualizar eventuais atrasos e problemas, que podem ser resolvidos a tempo, sem prejudicar a apresentação e, claro, a nota final do grupo. 

3. Aprofunde-se no tema 

Um erro frequente entre os estudantes é achar que apenas uma pesquisa superficial sobre o assunto é o suficiente para explicar o conteúdo ou certo fenômeno. 

Porém, quando o conhecimento é superficial, as explicações acabam sendo insuficientes ou até mesmo contraditórias.

Além de existir o risco de não saber responder a uma pergunta básica ou intermediária de alguém. 

Nessa situação, como convencer ao professor de que você e sua equipe realmente se empenharam?  Certifique-se de que houve um estudo aprofundado, condizente com o que será cobrado na hora da apresentação.

E lembre-se de que é melhor e mais seguro dominar um tema do que conhecê-lo apenas superficialmente. 

4. Monte um roteiro de apresentação 

Grupo montado, cronograma definido e rotina de estudos cumprida.

Agora, resta a apresentação, momento que chega a causar calafrios em alguns. Se você fica ansioso ou inseguro, acalme-se! 

Uma dica de ouro é treinar a apresentação antes do momento. Assim, diminui-se a chance de errar a pronúncia de termos técnicos ou de palavras pouco utilizadas no dia a dia. 

Além disso, ao criar um roteiro, é possível estabelecer uma linha de raciocínio, que será desenvolvida ao longo da apresentação. Isso diminui a ansiedade e o nervosismo de falar em público.  

Se algum evento tirar a sua concentração durante a apresentação, tudo bem! É só pegar o roteiro e seguir de onde havia parado.  

5. Capriche nos slides 

Os slides são a identidade visual do trabalho. Além disso, eles são também o recurso utilizado para prender a atenção dos ouvintes e para passar informações importantes. 

Por isso, evite inserir textos longos no slide, a não ser que seja uma colocação fundamental.

Recomenda-se a inserção de imagens, arquivos sonoros e vídeos, já que conteúdos interativos costumam ser mais atraentes. 

Você pode usar ferramentas de design online para criar seus slides, como o Canva.

Se você tiver um e-mail da sua universidade, é possível criar uma conta com acesso aos recursos Pro sem pagar nada por isso. 

6. Teste os recursos audiovisuais antes do seminário 

Já pensou montar um grupo com a devida atenção, estudar previamente, preparar a apresentação e, na hora, o notebook estar sem bateria?

Para piorar, o arquivo não foi salvo na nuvem! Não rola, não é mesmo? Então, lembre-se de verificar os aspectos técnicos da apresentação.

Isso inclui verificar o notebook, a integridade do arquivo da apresentação, e se os materiais que podem ser utilizados, como caixa de som e projetor de slide, estão funcionando. 

7. Treine a apresentação 

Como vimos, a elaboração de um roteiro é importante no momento de apresentar o trabalho. E, além do roteiro, deve-se treinar a apresentação antes. 

Assim, é possível se adiantar a prováveis questionamentos, além de identificar qual tópico precisa ser melhor conceituado. 

8. Fique atento à sua postura na hora do seminário 

Cruzar os braços, encostar na parede ou na lousa, manter o olhar para baixo ou não manter contato visual, entre outras, são algumas das posturas que devem ser evitadas durante um seminário. 

A linguagem corporal é importante, afinal, ela emite significados sobre você e a situação do momento.

Assim, é necessário manter uma postura firme e de confiança para passar, ao interlocutor, a impressão de que você domina o tema. 

O contrário também é verdadeiro. Uma postura retraída, encolhida e tímida, transparece insegurança e medo ao falar.

Então, aproveite os treinos para ajustar a postura e a entonação de voz durante a apresentação. 

9. Respeite o tempo combinado 

Qual foi o tempo acordado para a apresentação? Dez minutos? Trinta? Tanto faz, o importante é respeitar o tempo combinado.

Isso significa não extrapolar nem terminar com muita antecedência. 

Caso o tempo seja extrapolado, algum grupo ficará sem se apresentar ou, ainda, os ouvintes não terão o tempo necessário para tirar dúvidas e suscitar um debate. 

Agora, na situação inversa, em que a apresentação acaba com bastante tempo sobrando, fica a impressão de que o tema não foi suficientemente discutido e que o grupo estudou o tópico de maneira superficial. 

Por isso, aproveite o preparo prévio e o treino de apresentação para calcular corretamente o tempo. 

10. Prepare-se para as perguntas que possam surgir 

Como vimos, é comum que dúvidas e perguntas surjam por parte dos ouvintes ou do professor.

Então, uma dica é já ter em mente quais são as perguntas mais comuns e as dúvidas mais frequentes sobre o tema.

Desse modo, você pode se adiantar a possíveis questionamentos, respondendo a tudo o que for perguntado após a apresentação. 


📖 Gostou deste passo a passo de como fazer um seminário? Então você pode se interessar também por estes artigos do Blog do EAD UCS: